Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]

 

Arlinda Oliveira Santos.jpg

 

Faleceu hoje em Lisboa, Arlinda Oliveira Santos, cantora, compositora e combatente da Liberdade da Pátria, aos 77 anos. Era natural de São Vicente onde nasceu a 18 de Fevereiro de 1944.

 

Calou-se a voz que, juntamente com Djosinha, Mité Costa e Titina, em 1962, cantou e gravou “folclore de nôs terra” na sequência de uma extensa digressão de um grupo de músicos de Cabo Verde a Portugal. O grupo ad hoc, Conjunto de Cabo Verde, era ainda integrado por Agostinho Fortes, Taninho Évora, Luís Rendall, Censo Estrela. Arlinda Santos grava em dois dos três singles do Conjunto de Cabo Verde.

 

Priorizando a vida familiar e profissional como Assistente Social e actividades políticas, Arlinda só voltaria às lides da música em 2002 quando gravou o álbum Chama Violeta. Nos inícios de 1990 fez parte da formação inicial do grupo Simentera, que abandonou antes de o grupo realizar a sua primeira gravação.

 

Dharma, CD gravado em 2009, em que quase metade das composições são de sua autoria, é o último legado de Arlinda Santos. “Eu não sou poeta nem compositora, mas vou fazendo as composições para suprir a necessidade e sair da rotina”.

 

À Família, as nossas mais sentidas condolências.

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

 

Moacyr Rodrigues.jpg

 

 

Gabriel Moacyr Rodrigues, um legítimo “mnine de Soncente”, nasceu a 9 de Abril de 1933 na sua cidade do Mindelo onde viria a falecer a 23 de Dezembro.

 

O Presidente da República, Jorge Carlos Fonseca, ao manifestar o seu pesar por esta perda, considerou Moacyr Rodrigues, “um cabo-verdiano com uma trajectória de vida de muita dedicação ao seu país e à sua cultura”.

 

“Cabo Verde perdeu um homem da escrita, do carnaval, do desporto, tendo sido um dos principais fundadores da Académica da Praia nos anos sessenta, equipa onde foi também jogador e capitão”.

 

O Governo, através do ministro de Estado e da Presidência do Conselho de Ministros, Fernando Elísio Freire, considerou que o antropólogo e escritor Moacyr Rodrigues “foi um homem extraordinário que marcou a sua geração e futuras gerações e que deu uma grande contribuição para que hoje a morna fosse Património Imaterial da Humanidade”, 

 

Intelectual e Académico

 

Em 1957 Moacyr Rodrigues iniciou o curso de Filologia Germânica na Faculdade de Letras da Universidade Clássica de Lisboa, que prosseguiu na Universidade de Coimbra.

 

Em 1985 licenciou-se em Línguas e Literaturas Modernas (Inglês/Português) pela Universidade Clássica de Lisboa.

 

Em 1999 começou a lecionar no ensino superior em Cabo Verde, onde leccionou disciplinas de Língua e Cultura Cabo-Verdiana e Portuguesa, Antropologia Cultural e História, Cultura e Património, entre outras.

 

Em 2003 obteve o Mestrado em Relações Interculturais pela Universidade Aberta do Porto, na área de Antropologia Visual. Em 2010 obteve o Mestrado em Ciências Musicais - Etnomusicologia na Universidade Nova de Lisboa, e, em 2015, aos 82 anos, doutorou-se na mesma área, também nessa universidade.

 

Escritor

 

Moacyr Rodrigues é autor de vários livros, com artigos publicados em vários jornais e revistas sobre a etnologia e a musicologia de Cabo Verde.

 

Bibliografia Principal:

 

- Mornas e coladeiras de Frank Cavaquim. Mindelo, Edição de Autor, 1992.

- A morna na literatura tradicional. Praia, Instituto Caboverdeano do Livro e do Disco, 1996.

- Cabo Verde: festas de romaria: festas juninas. Mindelo, Edição de Autor, 1997.

- O Carnaval do Mindelo: formas de reinvenção da festa e da Sociedade. Representações Mentais e materiais na Cultura Mindelense (Dissertação de Mestrado). Mindelo, Edição de Autor, 2011.

- A Morna: O papel da morna na afirmação da identidade nacional em Cabo Verde (Tese de Doutoramento). Mindelo, Edição de Autor, 2017.

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

Esquecer!? Ninguém esquece…
Suspende fragmentos na câmara escura, que se revelam à luz da lembrança...

Pesquisar

Pesquisar no Blog

Jornalista e Poeta Eugénio Tavares

Comunidade

  • Anónimo

    Era minha tia avo o meu avo était filho mais venho...

  • Pedro

    Caro Professor,A equipa já realizou a transferênci...

  • Pedro

    Caro Professor,só vi a sua resposta ao meu comentá...

Powered by